sexta-feira, 28 de junho de 2019

Unesp entra no top 10 das universidades na América Latina

O Ranking Universitário da Times Higher Education (THE) Latin America 2019, um dos mais tradicionais e conceituados mundialmente, foi publicado nesta semana durante o Times Higher Education Latin America Forum, em Lima, Peru, e indicou que a Unesp está em décimo e passou a figurar, pela primeira vez, no seleto grupo das dez universidades mais bem classificadas, o Top 10.
O ranking THE, publicado desde 2016, classificou neste ano 150 universidades, de 12 países da América Latina. Em relação à edição anterior, foram adicionadas 21 novas universidades, fato esse que destaca ainda mais a ascensão da Unesp, que ocupava a 11ª posição na edição anterior do THE Latin America.
No recorte feito apenas com instituições brasileiras, a Unesp subiu da 7ª para a 6ª colocação, entre as 52 universidades brasileiras classificadas, que representam 34,6 % do total.
"Estar entre as dez melhores da América Latina é um sinal de protagonismo e de liderança", diz a professora Cleópatra Planeta, pró-reitora de extensão universitária e presidente da Comissão Institucional de Rankings da Unesp. "Há mais universidades classificadas, em relação ao ano passado, e ainda assim subimos uma posição no ranking. Isso reflete como a Universidade, de fato, está comprometida com a excelência acadêmica", afirma.
As três universidades estaduais públicas paulistas estão entre as dez primeiras do ranking latino-americano --a USP está na segunda colocação e a Unicamp aparece em terceiro. As outras brasileiras que aparecem entre as dez primeiras são a PUC-Rio (4ª), Unifesp (6ª) e UFMG (8ª).
O ranking THE Latin America Ranking é publicado desde 2016. A Unesp tem mostrado regularidade em seu desempenho, mantendo-se entre as primeiras colocações tanto entre as universidades brasileiras e quanto as centenas de universidades avaliadas na América Latina.
A instituição Times Higher Education tem fornecido dados de desempenho ​​sobre universidades desde 2004. A sua ferramenta mais conhecida é o THE World University Rankings, cujo banco de dados abrange as principais universidades do mundo, incluindo mais de 1.250 instituições em 86 países em sua última edição, em 2019.
A classificação das universidades baseia-se nos mesmos critérios e indicadores utilizados no THE World University Rankings, contando com  adequações especiais para melhor refletir as características das universidades da América Latina, notadamente reconhecidas pela grande influência regional de suas pesquisas e colaborações científicas.  Os indicadores de desempenho são agrupados em cinco áreas: Ensino (o ambiente de aprendizagem); Pesquisa (volume, receita e reputação); Citações (influência da pesquisa); Internacionalização (pessoal, estudantes e pesquisa); e Receita Industrial (transferência de conhecimento).
Os indicadores de desempenho são agrupados em cinco áreas:
Ensino (ambiente de aprendizagem) - 36%
Pesquisa de reputação: 15%
Renda institucional: 6%
Relação docentes / estudantes: 5%
Proporção de formação doutorados/graduados: 5%
Proporção de docentes com doutorado: 5%
Pesquisa (volume, renda e reputação) - 34%
Pesquisa de reputação: 18%
Produtividade da Pesquisa: 10%
Renda de pesquisa: 6%
Citações (influência de pesquisa) - 20%
Internacionalização (docentes, estudantes, pesquisa) - 7,5%
Proporção entre estudantes internacionais e nacionais: 2,5%
Relação entre trabalhadores internacionais e nacionais: 2,5%
Colaboração internacional: 2,5%
Renda da indústria (transferência de conhecimento) - 2,5%

Redação do Garca.Jor


Nenhum comentário:

Postar um comentário