sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Com valor menor que o esperado, novo salário mínimo chega a R$ 954 a partir do dia 01

O salário mínimo em 2018 será de R$ 954, conforme decreto divulgado hoje, 29 de dezembro. O novo salário valerá a partir de 01 de janeiro. O decreto sairá em edição extra do Diário Oficial da União ainda nesta sexta-feira.
O valor divulgado é R$ 11 menor do que o previsto inicialmente no orçamento de 2018, aprovado no Congresso no valor de R$ 965. O salário-mínimo atual é de R$ 937. O reajuste de 1,81% segue a previsão do Índice de Preços ao Consumidor (INPC).

Fonte: Agência Brasil


Homem é assassinado nas proximidades do Cras da cidade de Marília

Um homem de 41 anos foi encontrado morto nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira, 29 de dezembro, em um terreno baldio na rua dos Crisântemos, zona Oeste de Marília, ao lado do prédio do Cras (Centro de Referência de Assistência Social). A vítima foi identificada como Alex Antônio de Lima.
As primeiras informações da polícia são de que o crime teria acontecido no prédio abandonado onde funcionava o Cefam, na rua Paes Leme, no mesmo quarteirão onde o corpo foi encontrado sem camisa, caído e com ferimentos na cabeça.
Testemunhas disseram que Alex morava no prédio abandonado com outras pessoas que ocuparam o local há algum tempo.
A reportagem do Marília Notícia esteve na cena do crime e policiais acreditam que o assassino tenha utilizado uma barra ou pedaço de pau nas agressões. O corpo teria sido arrastado por mais de 100 metros até o local onde foi encontrado.
Populares passavam pela via quando viram a vítima caída e ligaram para a Polícia Militar. Havia bastante sangue e a vítima ainda não havia passado pelo processo de rigidez cadavérica, o que indica que o homicídio deve ter ocorrido por volta das 4h30 ou 5h.
O delegado de plantão e perícia estiveram no local. Ainda não existem informações sobre a motivação do crime. O caso está sendo investigado.

Fonte: Marília Notícias


Um feliz Ano Novo...

2018 vem aí e a melhor maneira de receber o Ano Novo é estar preparado para encarar os desafios com entusiasmo. Esperamos todos em 2018 cheios de energia para que o ano seja produtivo e repleto de vitórias.


Criança garcense vítima de acidente doméstico morre na Santa Casa de Marília

Morreu nesta quinta-feira, 28 de dezembro, em Marília, a criança garcense que sofreu um acidente doméstico no dia 17 de dezembro, redundando em queimaduras em grande parte do seu corpo. A criança ficou sob cuidados intensivos durante todo o período, entretanto, diante da extensão das lesões verificadas não foi possível a preservação da vida da vítima.
Sophia Vitoria Sampaio Furtado, de oito meses de idade, encontrava-se internada na UTQ (Unidade de Terapia de Queimados) da Santa Casa de Marília. Pelo que foi apurado, a mãe preparava o banho quando acidentalmente o bebê se debateu e virou a banheira com água quente pelo corpo. A criança foi imediatamente encaminhada à UPA (Unidade de Pronto Atendimento de Garça) para os cuidados médicos.
Na Unidade de Pronto Atendimento de Garça verificou-se que o bebê teve mais de 60% do corpo queimados. A vítima apresentava queimaduras de segundo grau. De acordo com a enfermeira-chefe da UPA, Renata Branco, os médicos adotaram os protocolos necessários em casos de paciente queimado e posteriormente encaminhada para a UTQ.

Fonte: Redação do Garca.Jor


Sem novidades: base de Alckmin aprova orçamento com cortes em áreas sociais

Depois de muito debate e diversas obstruções, a Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou parte do orçamento do estado para 2018. A oposição manteve postura firme de combate ao projeto do governo de Geraldo Alckmin (PSDB), que classificou como "antipopular". A resistência levou a discussão madrugada adentro.
O líder da bancada do PT na Casa, deputado estadual Alencar Santana Braga, afirmou que "a bancada da oposição quer mais dinheiro para a Educação, para universidades públicas, para a Saúde e áreas sociais. Queremos mais trens, mais metrôs. O governo do estado está tirando dinheiro destas áreas e, além de não contemplar as demandas necessárias, ainda frauda o processo do orçamento".
A oposição afirma que o texto votado foi diferente do aprovado em comissão, por isso a acusação de fraude. A bancada do PT afirmou que vai entrar na Justiça contra as manobras do governo que, também, teve suas contas de 2016 aprovadas em plenário. "Quando chegou aqui, esse relatório estava com 14 itens alterados. Isso é inadmissível, foi burlado", disse o deputado petista Ênio Tatto, que participou da comissão.
De acordo com o novo orçamento, as áreas de Meio Ambiente, Esporte e Lazer e Pessoas com Deficiência foram as mais impactadas negativamente: perderam 13% dos recursos. Cultura perde 4%. Em compensação, aumenta em áreas que, de acordo com a oposição, beneficiam em futuras campanhas tucanas neste próximo ano eleitoral.
"Não podemos concordar com um orçamento que diminua gastos em áreas sociais como saúde, educação, cultura e habitação. Enquanto isso, o governo aumenta o orçamento para consultoria. São quase R$ 200 milhões a mais para essa área. Ele tira dinheiro da CPTM, que todos os dias tem problema. Tira dinheiro do metrô que não chega na periferia. Não podemos concordar com um orçamento desses. Ele tira dinheiro de áreas sociais para colocar em áreas que ele vai fazer dinheiro para a eleição do ano que vem", disse Tatto.
Para a deputada Márcia Lia, também da bancada petista, houve manobras sobre os prazos de tramitação de urgência, de escolha de relator especial e de fixação da matéria na ordem do dia sem ter expirado o prazo. "Estamos chocados com os golpes que estamos recebendo. O regimento vem sendo destruído. Os deputados comemoram, mas nós estamos sensibilizados com essa forma ridícula com que eles trabalham", disse.
"Esse orçamento não atende as necessidades do povo de São Paulo. Precisamos tirar o PSDB deste estado. Temos que fazer uma retrospectiva de tudo isso para escolhermos alguém que tenha compromisso com a população, que ouça a população. De todas as audiências feitas sobre o tema, nada foi aproveitado. A população não tem vez, nem voz. O orçamento é deles e eles fazem o que querem", completou a deputada.
Carlos Giannazi (Psol) também criticou o projeto. "Essa peça orçamentária é totalmente antissocial e antidemocrática. Não representa os interesses da população, representa o governo Alckmin e o poder econômico. Eles estão destinando bilhões para empresas, frigoríficos, setores que não oferecem nada em troca para o estado. Além disso, não contempla investimentos em cultura, lazer, educação e infraestrutura."

Fonte: Rede Brasil Atual


Após participar de baile funk em Ourinhos corpo de jovem é encontrado boiando no Rio Pardo

O corpo do jovem Igor Caetano Silva de 21 anos (morador de Santa Cruz do Rio Pardo), desaparecido desde a madrugada de sábado, 23 de dezembro, foi encontrado boiando no Rio Paranapanema em Santa Cruz do Rio Pardo, no fim da tarde de quarta-feira, 27 de dezembro.
Igor foi visto pela última vez na cidade de Ourinhos, na noite de sábado, quando veio participar de um baile funk. Após o desaparecimento do jovem, os pais registraram o Boletim de Ocorrência e estavam usando das Redes Sociais para tentar encontrá-lo.
O corpo foi encontrado por dois advogados da cidade de Ourinhos que estavam de caiaque no rio quando avistaram um corpo boiando. A Polícia Miliar foi acionada e em seguida o Corpo de Bombeiros que compareceram no local para a remoção do corpo já em estado de decomposição.
Os familiares assim que ficaram sabendo da localização do corpo de um jovem, foram até o local e reconheceram o corpo de Igor, devido as tatuagens.
O corpo foi encaminhado ao IML e o caso será investigado pela Polícia Civil de Santa Cruz do Rio Pardo.

Fonte: Ourinhos Notícias


Furtou Fiat Uno em Assis, tentou fugir e foi capturado em Assis

Um assisense de 25 anos foi preso em flagrante após ser flagrado dirigindo um Fiat Uno branco furtado pela Rua São Benedito, na Vila Marialves, em Assis.
O crime foi registrado pela PM, bem como pela Polícia Civil na Central de Polícia Judiciária (CPJ).
Segundo a PM, os policiais faziam patrulhamento pela Rua São Benedito quando se depararam com o indiciado, que dirigia o Fiat Uno branco, ano 1989, com placas de Assis, sendo que momentos antes os policiais haviam recebido a informação pelo COPOM de que o veículo estava com alerta geral de furto.
O rapaz não obedeceu o sinal de parada dado pela equipe e arrancou bruscamente com o carro, sendo iniciado um breve acompanhamento. A fuga foi interrompida quando o veículo chocou-se com a sarjeta na Rua Joaquim Vitor, danificando a roda dianteira esquerda.
O fugitivo ainda saiu correndo e foi entrando nos quintais da vizinhança local, quando se escondeu em uma residência na Rua Atanásio de Medeiros. Outras equipes de Rádio Patrulha apoiaram o cerco do local para a prisão do infrator, que permanecerá à disposição da Justiça.

Fonte: AssisCity


Documentário faz graves denúncias contra o marketing multinível

Julio Ulloa, do Equador, tinha uma firma de construção nos Estados Unidos que funcionava muito bem. Em 2012, um representante da empresa de nutrição Herbalife bateu à sua porta oferecendo-lhe a oportunidade de obter mais renda. Disse-lhe que com a comercialização de suplementos poderia ganhar entre 20.000 e 80.000 dólares por mês (65.500 e 260.000 reais). Começou a entrar com tudo no negócio. Trocou a construção por um clube promocional que promovia a marca e comprava mercadoria avaliada em milhares de dólares. “Meu provedor me dizia: 'Quanto mais você gasta, mais ganha”. Os meses se sucediam, mas os artigos dietéticos não eram comprados e suas dívidas continuavam crescendo, até que a verdade inevitável o golpeou. O sonho americano de riqueza com um trabalho fácil e sem perigo fora uma ilusão.
Ulloa viu como lhe “roubaram os sonhos”. Dele e centenas de milhares de latinos que perderam nos Estados Unidos de 8.000 a 22.000 dólares (26.000 e 72.000 reais) por apostar nos produtos da Herbalife. O documentário Betting on Zero, de Ted Braun, recupera essas histórias e a encruzilhada do bilionário de fundos de investimento Bill Ackman para desvendar o modelo de negócio da Herbalife como a maior fraude piramidal da história.
Em meio a um fogo cruzado, as histórias da comunidade latina são introduzidas em um filme que busca retratar o sonho americano sem final feliz. “Foi uma oportunidade para saber qual é o lugar do dinheiro no chamado sonho americano pela lente que reflete o conflito corporativo e uma história que tem ramificações em todo o mundo, e que se conecta com a vida do cidadão comum”, explica o realizador, por telefone.
Braun diz que foi difícil ligar as diferentes partes da história, sobretudo pela negativa da Herbalife de participar do documentário. O realizador preencheu esse vazio com material de arquivo de entrevistas e intervenções públicas dos dirigentes da empresa. Isto, mais as contribuições de distribuidores, ajuda a explicar como funcionam as empresas de marketing multinível (também chamado de marketing de rede). O relato é satisfatório intelectual e emocionalmente. “Tornou-se uma obrigação levar a audiência a se colocar no lugar de muitas pessoas envolvidas nesses complicados conflitos. Era muito importante para mim que vissem e entendessem como era o mundo do ponto de vista dos distribuidores e executivos da Herbalife”, afirma Braun.
O documentário, que recebeu uma menção especial do júri no festival de Tribeca na categoria de melhor investigação cinematográfica, em 2016, não esteve livre de polêmica. Braun denuncia que a Herbalife, com presença em 95 países e uma rede de 3,2 milhões de distribuidores, boicotou uma projeção do filme na Galeria Nacional de Retratos, em Washington, em outubro. O diretor diz que a advogada Heather Podesta e os sócios de sua firma de lobby compraram 173 entradas, a metade da sala, e deixaram os assentos vazios durante a exibição.
Este e outros ataques complicaram a difusão de Betting on Zero. Apesar das tentativas de sabotagem, o filme conseguiu manter-se como o documentário mais visto no iTunes durante as primeiras três semanas de seu lançamento em abril e agora quer ampliar sua audiência com a estreia na Netflix.
No documentário, a Herbalife é acusada de focar seu negócio na comunidade de imigrantes e de levar seu modelo a países em vias de desenvolvimento. Por causa disso, a ativista latina Julie Contreras e o grupo de ex-distribuidores fraudados foram intimidados por simpatizantes da Herbalife, com ameaças de denunciá-los para que fossem deportados se continuassem difamando a empresa.
Segundo Braun, muitas das denúncias feitas pelo grupo de Contreras foram levadas em consideração na investigação realizada pela Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos, na qual foram encontradas quatro práticas comerciais e enganosas. Por essa razão, as autoridades ordenaram que a empresa pagasse 200 milhões de dólares (655 milhões de reais) a quase 350.000 pessoas que perderam dinheiro na aquisição de suplementos nutricionais, além de reestruturar seu modelo de negócio. “A todo momento mantivemos nossa independência com o filme. Não mentimos em nenhuma das partes mostradas neste documentário e trabalhamos assiduamente para entregar uma obra que não fosse apenas advocacia e que levasse ao entendimento de toda a situação”, finaliza.
A Herbalife contesta o documentário Betting on Zero. A empresa criou o site www.bettingonzero.com.br para rebater o filme, onde diz que o produto "é um longo vídeo publicitário que tem como objetivo fazer uma campanha contra o setor de vendas diretas". A Herbalife diz que o filme foi idealizado financiado pelo investidor norte-americano Bill Ackman, com o objetivo de "beneficiar sua própria aposta financeira", pois ele tenta lucrar com a queda das ações da empresa na Bolsa de Valores de Nova York. Mas a companhia diz que "está mais forte do que nunca".

Fonte: El País




quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Novamente a ferrugem traz ameaças ao sabor do café colombiano

Se você pousasse em Bogotá na década de 1960, uma das primeiras coisas que veria ao sair do aeroporto seria provavelmente um outdoor gigante. Nele, estaria escrita a seguinte mensagem: "A ferrugem do café é o inimigo. Não traga material vegetal do exterior".
Foi um dos primeiros alertas sobre um problema que tem ameaçado o café colombiano desde então.
A ferrugem do cafeeiro é uma doença com o poder de paralisar, e até mesmo eliminar, o que é o produto nacional do país, a base de uma de suas maiores indústrias e uma das suas mais importantes fontes de moeda estrangeira.
Só no ano passado, as exportações de café corresponderam a US$ 2,4 bilhões (R$ 7,9 bilhões, na cotação atual), e a 7,7% de todos os bens que a Colômbia vendeu no exterior. Isso faz do país o terceiro maior produtor de café do mundo.
Em outras palavras, se a ferrugem se espalhar pelo território, levará à queda da oferta global e afetará o preço do café em todo globo.
É por isso que, durante as últimas décadas, cientistas colombianos estão envolvidos em uma batalha contra a praga, organizada a partir de um pequeno laboratório nas montanhas do país.
A ferrugem do café atormenta os fazendeiros há mais de um século. Quando uma árvore é infectada, suas folhas soltam um pó marrom e fino, como o produzido pela oxidação do ferro.
A doença, causada pelo fungo Hemileia vastatrix, também descolore as folhas, que passam do verde claro para o amarelo acastanhado. No final, a árvore perde todas as folhas, bem como a capacidade de produzir grãos.
Se não controlada, a doença pode ter consequências dramáticas. No final do século 19, Sri Lanka, Filipinas e outros países do Sudeste Asiático eram os principais exportadores de café do mundo. Em questão de décadas, a doença levou-os a praticamente parar o cultivo do produto.
Historiadores sugerem que esse fato ajuda a explicar por que hoje os britânicos preferem o chá. "O Sri Lanka deslocou-se para a produção de chá", já que o café não era mais lucrativo, explica Aaron Davis, chefe da pesquisa sobre café do Royal Botanic Gardens, Kew (Jardim Botânico Real de Kew, em Londres).
Por sorte, para os produtores asiáticos, o Reino Unido se interessou em mudar o paladar da população quando o fornecimento de café diminuiu.
A ferrugem do café é uma preocupação para a Colômbia em especial porque ataca o tipo de café do qual o país depende - e que os amantes do produto se acostumaram a beber.
O café que consumimos hoje vem principalmente de duas espécies.
Uma delas é o café arábica (Coffea arabica). Sua semente produz uma bebida deliciosa e delicada que é vendida a bons preços nos mercados internacionais. É ela que tornou o café colombiano tão famoso.
A segunda é o café robusta ou conilon, como é conhecido no Brasil (Coffea canephora). É uma árvore mais forte, com folhas mais resistentes e mais barata de cultivar e colher. Tem um gosto mais amargo e não é muito atraente para os conhecedores do café. Portanto, não é tão apreciada pelo mercado quanto o arábica.
Como resultado, o conilon representa apenas 37% da produção mundial do grão, de acordo com a Organização Internacional do Café.
Infelizmente, a ferrugem ataca o arábica mas não o robusta. A Colômbia exporta apenas a primeira espécie, então fazer uma mudança no plantio nunca foi uma opção.
Na década de 1960, uma equipe de cientistas de um laboratório chamado Cenicafe iniciou os trabalhos para encontrar uma solução inspirada nas melhores características das duas espécies - mas a saída não era tão fácil quanto parecia.
Para chegar ao Cenicafe, é preciso dirigir até o topo de uma montanha. As estradas sinuosas podem deixar o visitante enjoado, se ele não estiver acostumado às curvas. O laboratório fica lá em cima para proteger os resultados de pesquisas das forças da natureza: o prédio anterior foi inundado após a erupção de um vulcão em 1985.
O laboratório foi criado em 1938 pela Federação Nacional de Cafeeiros da Colômbia (também conhecida como Fedecafe), a associação da indústria no país, e é considerado um centro de comando para a ciência do café.
"O Cenicafe nos permitiu continuar competitivos e diminuir os riscos", explica Hernando Duque, diretor técnico da Fedecafe. As pesquisas ajudaram a domesticar e a viabilizar muitas das variedades de alta qualidade que o país cultiva - e que o mundo aprecia.
Hoje, o trabalho dos pesquisadores é considerado referência na luta contra "a ameaça mais aguda ao café nas Américas", como define Michael Sheridan, diretor de compras na Intelligentsia Coffee Roasters, um importador de café dos Estados Unidos.
Para salvar o café da Colômbia, na década de 1960, os cientistas da Cenicafe perceberam que precisavam criar novas variedades que pudessem herdar o sabor e o aroma do arábica colombiano, assim como os genes de resistência do robusta.
A fim de atingir a combinação, eles deveriam arranjar esses genes em outro lugar, já que as duas espécies geralmente não se cruzam. A solução viria do outro lado do mundo.
Em algum momento da história recente, um fenômeno estranho aconteceu no Timor Leste. Na pequena ilha do Oceano Índico, no meio do caminho entre Indonésia e Austrália, os cafés arábica e o robusta se uniram. Como resultado, o híbrido do Timor nasceu.
Este híbrido natural foi encontrado em 1927 e começou a ser colhido em 1940. Não é um ótimo grão para degustação, mas tem uma característica crucial: ao contrário do robusta normal, ele pode ser cruzado de novo com diferentes tipos de arábica e transmitir-lhes a resistência à ferrugem.
Os centros de pesquisa do café em todo o mundo começaram a repetir esse processo, mas havia um problema. O resultado não era muito saboroso, o que representava um fracasso iminente. Se as novas variedades não valessem pelo menos o mesmo que as anteriores, os produtores não mudariam suas plantações.
Foi nesse contexto que os esforços do Cenicafe para combater a ferrugem tiveram início, em 1968. A equipe sabia que a doença, presente no exterior, chegaria à Colômbia em breve, e instaurou um projeto para criar cultivos de cafeeiros resistentes à praga.
Mas o trabalho não se resumia a misturar espécies. O empenho real consistia em cruzar cinco gerações de árvores e selecionar aquelas que proporcionariam um sabor melhor e um aroma mais delicado, bem como boa produtividade e resistência a diferentes tipos de fungo Hemileia.
Em 1980, o centro lançou sua primeira junção da caturra - a variedade do arábica dominante no país - com o híbrido do Timor. O resultado foi chamado de colombia, e era bom o suficiente para que fosse bem aceito pelos produtores e compradores. Ele ainda está em muitos cafezais do país.
A novidade veio a tempo. Três anos depois, a ferrugem foi identificada pela primeira vez nos cafezais colombianos.
Alcançar a variedade colombia não foi o fim da guerra contra a praga. Desde então, o fungo Hemileia vastatrix evoluiu, e encontrou uma maneira de infestar algumas das árvores consideradas imunes. Enquanto elas mantiverem apenas resistência parcial, o fungo inevitavelmente a quebrará.
Há também a ameaça das mudanças climáticas. As temperaturas no período mais frio do ano estão subindo, o que, segundo alguns cientistas, reduz o tempo que o fungo leva para atacar as folhas uma vez na árvore. Como resultado, futuras epidemias podem ser mais longas e destrutivas.
Com isso em mente, a Cenicafe desenvolveu outras variedades. Em 2005, o centro lançou uma semente chamada castillo, em homenagem a Jaime Castillo Zapata, o principal cientista por trás do desenvolvimento do colombia. Em 2016, surgiu uma terceira variedade, a Cenicafe 1, que aumentou a resistência do cafeeiro a outras doenças.
A ideia principal é tornar mais difícil para o fungo quebrar completamente a resistência das árvores. Isso é alcançado por meio da inclusão de muitos genes diferentes que são invulneráveis a praga. Se um deles é derrotado por uma nova mutação de Hemileia, restam outros.
Ao aumentar a reserva de genes, os cientistas também desejam proteger as lavouras de novos riscos. "Se você reduzir a diversidade genética, tem menos resistência ao clima, a pragas e a doenças", explica Davis, do Royal Botanic Gardens, Kew.
A falta de diversidade mostrou-se desastrosa para outras culturas comerciais. A maioria das bananas vendidas hoje no mundo é clone de uma única planta chamada Cavendish, cultivada inicialmente no Reino Unido no século 19.
Não era o fruto mais gostoso, mas era resistente ao fungo que eliminou a variedade mais popular do produto em meados do século 20, o Gros Michel. O fungo mudou e agora pode matar a Cavendish, o que significa que a extinção da banana como conhecemos é uma possibilidade.
Diferentemente dos estudiosos da banana, os cientistas do café parecem ter ouvido o aviso. Em um futuro distante, quando a ferrugem derrotar as variedades castillo e colombia, espera-se que outras continuem a batalha contra a doença.
No entanto, se a ferrugem predominar, também haverá custos humanos. A indústria do café da Colômbia emprega cerca de 730 mil pessoas, a maioria delas nas pobres áreas rurais do país.
Michael Sheridan, diretor da empresa Intelligentsia, passou muitos anos no interior da Colômbia e diz que viu como pequenos cafeicultores apostam tudo o que têm para conseguir um boa produção. Eles assumem riscos altos, e se algo der errado, suas famílias pagam caro.
Davis acredita que variedades como a Castillo tornaram o café viável para pequenos agricultores, que agora têm uma opção razoavelmente barata e menos arriscada. "Não é uma questão de luxo. É uma questão de necessidade", diz.
Mas criar uma nova semente é apenas parte da história. Fazer com que os produtores mudem suas lavouras para as variedades resistentes pode ser o mais difícil.
Um único arbusto de café pode dar frutos no seu pico de produtividade por até oito anos - isso significa que, após serem lançadas, a maioria das sementes não são adotadas imediatamente pelos cafeicultores.
Além disso, muitos produtores têm apego emocional às variedades que cultivam. Eles conhecem as peculiaridades de suas árvores, seus ciclos e seu comportamento exato nas fazendas. Mesmo quando a castillo é cultivada de maneira semelhante à caturra, para alguns fazendeiros plantar uma nova semente é comparável a hospedar um estranho em casa.
A mudança também tem um custo financeiro. Como um time de pesquisadores de café da América Latina escreveu em um artigo recente sobre a epidemia de ferrugem, a substituição de variedades requer um grande investimento inicial e devolve zero rendimento "ou rendimentos muito baixos durante pelo menos os dois primeiros anos e, portanto, (gera) uma renda muito reduzida".
A Colômbia apresentou uma estratégia para superar esses obstáculos. A Fedecafe oferece subsídios e empréstimos aos agricultores para ajudá-los a comprar sementes resistentes, além de dar assessoria técnica sobre seu cultivo.
Mesmo com todas essas medidas, a doença ainda é uma ameaça iminente à indústria do país. Um surto em 2008 conseguiu destruir um quarto da colheita anual colombiana. Desde então, a Colômbia acelerou seus esforços para convencer os agricultores a plantar a Castillo.
Hoje, de acordo com os números da Fedecafe, 76% de todos os cafeeiros colombianos são pelo menos parcialmente resistentes à ferrugem, resultado alcançado após empurrar a nova variedade aos produtores.
E enquanto outros países viram seus cultivos diminuírem pela metade em surtos recentes, a Colômbia mantém o alcance da doença em apenas um dígito.
É por isso que a maioria das pessoas no mundo do café, de produtores e cientistas até compradores, considera os esforços do país como os melhores do mundo na luta contra a ferrugem.
No entanto, nem todas as ações são elogiadas - o sabor das novas variedades não foi universalmente aprovado.
Uma vez por ano, na frente de um painel de cuppers (os provadores experts da indústria), cafeicultores colombianos colocam todo seu trabalho à prova. Seu objetivo é alcançar um número mágico: 80.
Os provadores classificam o sabor do café de acordo com uma pontuação que vai até 100 - avaliando fragrâncias, corpo, doçura e outros critérios. Uma classificação de 80 é o mínimo para um café ser considerado "especial" e, portanto, ser vendido a preços mais altos do que a média do mercado. Alguns compradores são ainda mais rigorosos: exigem 83, ou até mesmo 87 pontos.
Claro, eles pagam recompensas correspondentes à qualidade extra. Além disso, a nota confirma o domínio dos agricultores sobre seu ofício e os inclui na elite dos produtores.
"É muito difícil chegar lá", diz Mauricio Castaneda, o filho mais velho de uma família de cafeicultores. "Você precisa cuidar de muitos pequenos detalhes." Em 2016, apenas 17% do café exportado pela Colômbia atingiu esse patamar.
Algumas pessoas no mercado do café pensam que a variedade castillo, resistente à ferrugem, não consegue chegar ao nível "especial". Durante anos degustadores têm se queixado da menor qualidade do castillo em relação ao caturra - uma reclamação que poderia afundar sua viabiliade entre os agricultores.
Essa tem sido uma questão controversa dentro da comunidade. Por exemplo, para Alejandro Cadena, CEO da Caravela, uma empresa de comércio de café, "Castillo não é a variedade mais adequada para mercados especializados e de alta qualidade". Ele diz que o grão pode ter notas de borracha, principalmente quando acontecem falhas no processo de produção.
Isso o afasta do mercado mais sofisticado, afirma Cadena. "Mas para (fins) mais comerciais, de alto volume, a castillo é uma excelente variedade".
Outros, como Michael Sheridan, discordam dessa análise. Ele baseia seus argumentos em um estudo que realizou durante a safra de 2014 em Nariño, um dos estados colombianos de cultivo de café. No experimento, degustadores experientes testaram as duas variedades e não encontraram diferenças significativas.
Enquanto Sheridan é cauteloso ao afirmar que a pesquisa não pode ser expandida às demais regiões do país nem a safras de outros anos, ele ressalta que o mercado dá, sim, sinais de apreciação pelo castillo.
Segundo Sheridan, os melhores baristas o escolhem em competições, e o grão tem prestígio entre compradores internacionais. "É cada vez mais difícil na Colômbia, ao buscar o café de pequenos proprietários, encontrar lotes que não tenham castillo entre neles", diz.
O castillo também é a variedade do coração de Eduardo Florez. O empreendedor colombiano tem uma banca no Borough Market, famoso mercado de Londres, onde vende o café que torra em sua garagem em Brighton (a 86 km da capital). Como parte de seu negócio, Florez compra pequenos lotes e diz ter encontrado castillos muito especiais.
"Uma vez achei um que tinha notas de pêssego", ele observa. "Imagine o quão delicado é isso!"
Na garagem da Florez, a reportagem da BBC decidiu fazer sua própria degustação. Quatro amostras foram provadas sem qualquer informação o que era cada uma.
Uma deles era complexa e mereceu vários goles: a acidez e a doçura frutadas faziam uma espécie de dança, na qual cada sabor não cancelava, mas complementava e aprimorava, o outro.
A segunda tinha gosto de escritório, por assim dizer: parecia o tipo de bebida ingerida apenas pela cafeína. As últimas duas eram intermediárias, ficavam em algum lugar entre os extremos.
Mas qual foi o favorito? Qual café tinha os sabores frutados e a doçura? Foi o castillo.

Fonte: BBC


Fraudes envolvendo instituições de futebol e de comunicação são reveladas

Em um efeito dominó, caem todas as peças, uma a uma, do jogo corrupto da entidade máxima do futebol, a FIFA. Um grande esquema de fraude começou a ser desmontado quando, ainda em 2015, 18 pessoas e 02 empresas foram indiciadas, incluindo a prisão de sete dirigentes da entidade. Entre eles, o brasileiro José Maria Marin, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Dentre as acusações estavam fraude eletrônica (uso de tecnologia da informação para cometer fraude), extorsão e lavagem de dinheiro.
Em novembro, mais um escândalo abalou as estruturas das instituições futebolísticas. No dia 14/11, o ex-presidente da empresa de eventos esportivos Torneos y Competencias (TyC), o argentino Alejandro Burzaco, afirmou em delação premiada à justiça estadunidense que a Rede Globo pagou propinas para conseguir direitos de transmissão de torneios de futebol ligados à Conmebol, como a Libertadores e a Copa América. Além da empresa brasileira, Burzaco citou algumas das principais redes televisivas dos Estados Unidos, do México, da Espanha e da Argentina. Segundo o delator argentino, o então diretor do departamento esportivo da Globo, Marcelo Campos Pinto, que deixou a empresa ainda em 2015, era quem negociava os direitos de transmissão com pagamento da propina. Burzaco ainda incluiu em seu depoimento a participação de Ricardo Teixeira e José Maria Marin, ex-mandatários da CBF, e Marco Polo Del Nero, atual presidente da mesma, no esquema de corrupção.
Duas semanas após a delação de Burzaco, no dia 30, seu principal funcionário, Eladio Rodríguez, também citou a Globo em seu depoimento. Rodríguez afirmou que uma offshore da TyC foi aberta na Holanda com o objetivo de receber pagamentos de grupos de comunicação, entre eles a Globo. Segundo ele, após as propinas serem depositadas na conta da empresa holandesa, os valores eram repassados aos dirigentes das federações. Assim como seu antigo patrão, Rodríguez também citou Teixeira, Marin e Del Nero em seu depoimento. A TyC possuía planilhas contábeis paralelas, nas quais aparece o nome da Globo quatro vezes e sempre associada à repasses referentes à transmissão de torneios sul-americanos que somam mais de R$ 40 milhões. Nessas planilhas, os presidentes da CBF estavam identificados com o codinome “Brasileiro”.
O caso ainda está em processo de investigação, mas, a revelação de Burzaco desenha, de maneira nítida, como os oligopólios de comunicação no mundo estão intimamente ligados aos negócios lucrativos e pouco republicanos que envolvem o mundo esportivo. No Brasil, há anos, nenhuma outra rede televisiva consegue competir com a Globo nas transmissões dos jogos dos principais torneios esportivos no país. Um monopólio que, negociado diretamente com a CBF, permite que uma única empresa de comunicação engorde suas contas através de contratos publicitários que superam em muito o valor do repasse que ela faz aos clubes brasileiros. Segundo levantamento da organização Intervozes, apenas durante o Campeonato Brasileiro de 2017 a Globo faturou cerca de R$ 1,7 mi com publicidade.
Em grande medida, as vantagens da Globo na disputa pelos direitos de transmissão dos jogos no Brasil têm relação direta como o próprio monopólio exercido pela empresa na comunicação em todas as suas esferas de difusão.
A delação de Burzaco deixa sinais concretos, não apenas sobre o modo pouco republicano como o futebol é organizado, mas, também revela como qualquer pretensão de democratizar o futebol implica necessariamente em constituir uma agenda de democratização da própria mídia no Brasil.

Fonte: Brasil de Fato


Bancos têm hoje o último dia de atendimento ao público no ano

Esta quinta-feira, 28 de dezembro, é o último dia do ano para atendimento ao público do sistema bancário, com expediente normal para a realização de todas as operações solicitadas pelos clientes. Já amanhã, 29 de dezembro, as instituições financeiras não abrem para atendimento ao público.
A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) ressalta que as contas de consumo (água, luz, telefone e TV a cabo), bem como os carnês que estiverem com vencimento nas datas em que as agências estiverem fechadas, poderão ser pagos no primeiro dia útil seguinte aos feriados - 02 de janeiro -, sem a incidência de multa por atraso.
 Vale lembrar que os tributos já vêm com data ajustada em relação ao calendário de feriados (federais estaduais e municipais).
 O público pode utilizar os caixas eletrônicos, internet banking, mobile banking, banco por telefone e correspondentes (casas lotéricas, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos comerciais credenciados) para realizar operações bancárias. Além disso, as contas que possuem código de barra poderão ser pagas nos próprios caixas automáticos.
 Já em relação aos boletos bancários, os clientes cadastrados como sacados eletrônicos poderão fazer o agendamento pelos canais eletrônicos ou pagá-los por meio do Débito Direto Autorizado – DDA.

Fonte: Redação do Garca.Jor


Conheça a lista dos feriados e pontos facultativos de 2018

O ano de 2018 terá nove feriados nacionais e cinco pontos facultativos, segundo portaria divulgada nesta semana pelo Ministério do Planejamento e publicada no "Diário Oficial da União".
Segundo o ministério, as datas deverão ser observadas pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo.
O calendário não inclui como feriado datas tradicionais como o Carnaval (12 e 13 de fevereiro), que é ponto facultativo, e Corpus Christi (31 de maio), também incluído como ponto facultativo.
De acordo com o Ministério do Planejamento, os dias de guarda dos credos e religiões não relacionados na portaria poderão ser compensados, desde que seja autorizado pelo responsável pela unidade administrativa. Em Garça, o dia do município e o dia do padroeiro também são feriados locais.

Feriados
Confira a lista dos feriados nacionais de 2018:

1 de janeiro (segunda): Confraternização Universal
30 de março (sexta): Paixão de Cristo
21 de abril (sábado): Tiradentes
1º de maio (terça): Dia Mundial do Trabalho
05 de maio (sábado) - Dia em homenagem a emancipação polítco administrativa de Garça
29 de junho (sexta) - Dia do padroeiro de Garça
07 de setembro (sexta): Independência do Brasil
12 de outubro (sexta): Nossa Senhora Aparecida
02 de novembro (sexta): Finados
15 de novembro (quinta): Proclamação da República
25 de dezembro (terça): Natal

Ponto facultativo
Confira as datas de 2018 em que o ponto será facultativo nas repartições federais:

12 de fevereiro (segunda): Carnaval
13 de fevereiro (terça): Carnaval
14 de fevereiro (quarta): Quarta-feira de cinzas (ponto facultativo até as 14h)
31 de maio (quinta): Corpus Christi
28 de outubro (domingo): Dia do Servidor Público

Fonte: Redação do Gaca.Jor


Consumidora de Garça é uma das vencedoras do sorteio de comércio de Marília

Uma Consumidora de Marília, uma de Garça e outra de Vera Cruz foram as sorteadas e levaram os três carros entregues pelo comércio de Marília na campanha de vendas de final de ano. O sorteio foi feito na noite desta quarta-feira em praça no centro da cidade.
“Isto demonstra o quanto somos pólo regional de consumo”, disse o presidente da associação comercial local, Libânio Victor Nunes de Oliveira. Além das consumidoras, três comerciários e lojistas foram premiados. “Encerramos com chave de ouro uma campanha que atraiu mais de um milhão de cupons”, constatou o dirigente mariliense.
Valdirene da Silva (Vera Cruz), Helena de Queiroz (Garça) e Jussara Bezerra da Silva (Marília) foram as ganhadoras. As três lojas que receberão um computador portátil são: B1 Calçados (Marília), Vitoni Calçados (Garça) e Supermercado Supimpa (Vera Cruz), enquanto que as comerciárias que receberão um hometheather são: Maísa (Vera Cruz), Sônia (Garça) e Barbara (Marília).
“O primeiro cupom sorteado foi anulado por não ter sido preenchido corretamente”, destacou o diretor superintendente da Acim, José Augusto Gomes, ao conferir todos os cupons que precisavam estar preenchidos corretamente em todos os campos, com o nome da loja, do vendedor e do consumidor de forma legível.
O sorteio foi transformado em grande evento com parceria da prefeitura, show da banda Aramaçã e outras atrações para o público. O prefeito Daniel Alonso disse que a iniciativa da Associação Comercial e Industrial de Marília é elogiável, pois, em momentos de crise complicada, manteve os sorteios com prêmios realizando dois este ano, com quatro automóveis zero quilômetro.
“São mais de um milhão de cupons concorrendo, e cada um deles era entregue com uma compra superior a R$ 50,00, o que me leva a crer que são mais de R$ 50 milhões investidos no comércio de Marília”, calculou Daniel Alonso.
As campanhas com sorteio de prêmios foram uma marca da atual gestão na Acim. Desde 2012, quando assumiu a presidência da entidade, Libânio Victor Nunes de Oliveira sempre programou dentre as atividades a serem realizadas, as campanhas promocionais com sorteio de prêmios.
No aniversário de 80 anos da associação comercial, durante o ano de 2013 foram mais de 100 prêmios sorteados, e depois as campanhas passaram a ser realizadas trimestralmente em média. Com três automóveis e a apresentação da “Banda Aramaçã”, foi a primeira vez no Paço Municipal. “Vamos nos organizar mais e ver como poderemos promover as campanhas de 2018”, disse Adriano Luiz Martins, futuro presidente da entidade associativa. “As campanhas continuarão, e dentro do possível vamos incrementa-las”, promete o dirigente que assume a instituição a partir de fevereiro. De acordo com o diretor superintendente da Acim, José Augusto Gomes, os esforços serão para entregar os nove prêmios ainda este ano.
“Vamos fazer o possível, afinal, dependemos dos órgãos governamentais para a confecção dos documentos oficiais, além, da finalização dos procedimentos junto a Caixa Econômica Federal”, explicou o dirigente mariliense, acostumado na elaboração e execução dos processos.

Fonte: Giro Marília


Câmara de Marília não chega a consenso sobre mudança na zona azul e sobre sistema de radares

Dois pedidos de vistas adiaram mais uma vez a votação de assuntos que vêm gerando polêmica e estavam previstos para serem debatidos pela Câmara em sessão extraordinária nesta quinta-feira, 28 de dezembro): radares urbanos e modificações na Zona Azul.
Alguns vereadores criticaram a falta de diálogo do Executivo com a Câmara. Os projetos envolvendo a Emdurb receberam pedido de vistas e não tiveram suas votações consumadas.
O vereador Albuquerque (PRB) pediu vistas por 30 dias no projeto de lei 183/2017 da Prefeitura que dispõe sobre estacionamento rotativo pago nas vias públicas de Marília. O projeto faz várias mudanças no sistema e pode implicar no fim da parceria com a Legião Mirim para venda de cartelas.
No caso de concessão do serviço, o projeto de lei prevê a realização de uma concorrência pública. A proposta pretende ainda o controle digital da Zona Azul como forma de modernização.
Já o projeto de lei substitutivo 186/2017, que proíbe a terceirização da operação de radares de trânsito urbanos em Marília, apresentado pelo presidente da Câmara Wilson Damasceno (PSDB), foi alvo de pedido de vista do vereador Marcos Rezende (PSD).
Recentemente a administração municipal determinou o início de testes pela empresa vencedora de uma licitação para “serviços de operação manutenção e instalação de equipamentos eletrônicos de fiscalização e serviços técnicos de gestão, atendimento e processamento de infrações de trânsito”.
Marcos Rezende, como representante do Executivo no parlamento, garantiu que a polêmica licitação iniciada em 2015 não será homologada até que se chegue a um consenso sobre o tema na Casa de Leis.
Ao Marília Notícia na quarta-feira o presidente da Emdurb, Valdeci Fogaça, alegou que a licitação tratava apenas de uma implementação dos radares – algo que a autarquia não tem condições de realizar por questões técnicas – e locação de material.
O presidente da Câmara chama isso de “terceirização” e afirma que o processo fere a legislação municipal aprovada nos últimos meses, em que modifica as competências da Emdurb, colocando seu foco no trânsito, e a proíbe de terceirizar a gestão das multas.
Damasceno afirmou que vai acionar o Tribunal de Contas do Estado e chegou a falar também em acionar o Ministério Público.
Outros dois projetos que estavam em pauta, ao contrário, foram votados e aprovados pelos vereadores.
O projeto de lei 187/2017, do Poder executivo, que autoriza a prefeitura a celebrar instrumento particular de confissão de dívida e firmar acordo de parcelamento e quitação com a Unimed de Marília.
São débitos referentes ao custeio parcial (cota patronal) das despesas com a manutenção de serviços de assistência médico-hospitalar aos servidores públicos municipais ativos, inativos, pensionistas e dependentes, prestados no período de março a novembro de 2017, no valor total de R$ 3.510.000,00.
Também de autoria da Prefeitura, foi aprovado o projeto de lei 184/2017, que modifica a Lei 433, de 23 de outubro de 1997, criando e denominando a Escola Municipal de ensino Fundamental (Emef) “Professor Amaury Pacheco”.

Fonte: Marília Notícias


Garça realiza leilão de veículos e sucatas no próximo dia 16 de dezembro

Já estão disponíveis para visitação os veículos, máquinas e sucatas que serão leiloados pela Prefeitura de Garça, no dia 16 de janeiro. Ao todo, são 33 itens. Destes, 30 ainda possuem condições de uso e outros três serão leiloados como sucatas. Os bens estão expostos nas dependências da Secretaria Municipal de Administração dos Serviços Públicos, na rua Fernando Costa, nº 563, no bairro Araceli, e podem ser visitados das 7h às 11h e das 13h às 16h, de segunda a sexta-feira.
O leilão 001/2017, publicado por meio do edital 025/2017, no Diário Oficial do Município, visa a alienação dos veículos e máquinas que foram considerados inservíveis e de recuperação antieconômica para a administração municipal. Segundo o chefe de gabinete, Cássio Adonis de Santi Siqueira, essa inciativa é resultado de um estudo no qual se apurou excessivos gastos com a manutenção de tais veículos e a quantidade de dias parados dos mesmos. "Esperamos que, como o valor a ser arrecadado no leilão, a prefeitura possa adquirir carros populares que irão contribuir com a produtividade dos serviços de alguns setores", concluiu o chefe de gabinete.
O lance mínimo de cada um dos itens foi elaborado após avaliação criteriosa das comissões nomeadas através de duas portarias, a de nº 30.415/2017 e a nº 30441/2017. Na relação de veículos constam carros, motos, caminhão, peruas Kombi, entre outros. Os lances iniciais variam de R$ 1.000,00, como é o caso de uma moto Honda XR200R, anos 2000/2001, até R$ 18.000,00 em um rolo Compactador Muller, de 1974.
Poderão oferecer lances pessoas físicas e jurídicas. Os bens serão leiloados por itens, conforme relação, sendo declarados vencedores os maiores lances a partir do valor mínimo. Não podem participar servidores da Prefeitura de Garça, assim como menores de 18, não emancipados.
Pessoa física deve comparecer ao local do leilão com a carteira de identidade e o Cadastro de Pessoa Física (CPF). Já a pessoa jurídica precisa levar o cartão do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), carteira de identidade no caso de sócio ou instrumento público de procuração com firma reconhecida do representante legal que o assina, do qual constem poderes específicos para formular ofertas e lances.
O edital completo pode ser conferido no Departamento de Contratos e Licitações, da Prefeitura de Garça, à Praça Hilmar Machado de Oliveira, nº 102, telefone: (014) 3407-6606, no horário das 8h às 11h e das 13h às 16h, ou pelo site: http://www.garca.sp.gov.br/licitacao.
O leilão será realizado no dia 16 de janeiro de 2018, às 9h30, a rua Carlos Gomes, nº 190, no Centro de Garça.

Fonte: Redação do Gaca.Jor e Assiscity


Mesmo com repasse, médicos de hospital ficam sem salários em Duartina

Mesmo com o repasse da subvenção mensal devida pela Prefeitura de Duartina, que foi feito na terça-feira, 26 de dezembro, à Santa Casa (Hospital Santa Luzia) não conseguiu pagar os salários de todos os profissionais da entidade. Pelo menos seis médicos continuam sem receber e, segundo a Provedoria, os pagamentos só devem ocorrer em janeiro.
O hospital recebeu no dia 20 os R$ 31 mil da Prefeitura de Duartina para depositar o INSS dos funcionários e, no dia 26, mais R$ 124 mil para pagar salários de médicos plantonistas.
O prefeito Juninho Aderaldo (PPS) alega que a entidade também deveria ter pago três especialistas - um oftalmologista, um cardiologista e um ortopedista -, o que não ocorreu.
"Eles já falaram para nossa Diretora de Saúde que, se eles não receberem, não vão vir trabalhar", diz. "E a população de Duartina não pode ser prejudicada em hipótese alguma".
O provedor do hospital, Valdir Maximino, conta que, além dos três médicos especialistas, não conseguiu pagar dois cirurgiões e um anestesista que atendem na maternidade.
"Com esse dinheiro não dá para pagar todo mundo", afirma. "Só na maternidade, são R$ 30 mil. Eu não tenho dinheiro para pagar. As subvenções não estão cobrindo as contas".
Segundo o provedor, os salários restantes, assim como o 13º de todos os funcionários, só serão pagos em janeiro.

Fonte: Jornal da Cidade de Bauru




Adolescente de 17 anos morre afogado em Santa Cruz do Rio Pardo

Os bombeiros localizaram na noite de quarta-feira, 27 de dezembro, o corpo de um adolescente no Rio Pardo, em Santa Cruz do Rio Pardo.
De acordo com informações da corporação, Igor Silva, de 17 anos, que morava na cidade se afogou no rio. As buscas foram realizadas durante o dia e o corpo localizado no início da noite.

Fonte: G1


quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

BSCA lança inédito concurso para café especial de colheita tardia no Brasil

Os cafés de colheita tardia ganharam uma excelente novidade no Brasil. A Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE) acabam de lançar o "Programa Destaque Brasil", concurso de qualidade destinado aos frutos especiais naturais (colhidos e secos com casca) e também aos produzidos por via úmida (cerejas descascados e/ou despolpados).
Com inscrições abertas a partir desta semana e que se estendem até nove de janeiro de 2018, podem participar do concurso os cafés colhidos a partir de outubro nas origens produtoras das Matas de Minas (MG), Espírito Santo e Bahia, em qualquer altitude, e nas demais regiões cafeeiras do País, desde que cultivados em altitudes superiores a 1.200 metros. A participação no "Programa Destaque Brasil" é válida somente aos produtos que não tenham participado das categorias "Naturals" e "Pulped Naturals" do Cup of Excellence – Brazil 2017. O regulamento completo está disponível no site da BSCA: http://brazilcoffeenation.com.br/contest-edition/list.
Os lotes inscritos passarão pela pré-seleção, quando será verificado se não possuem defeitos e se estão de acordo com as determinações do regulamento. Uma comissão de degustadores, composta por profissionais com experiência selecionados pela BSCA, avaliarão as amostras de acordo com suas características relacionadas a tipo, cor, aspecto, umidade, defeitos e qualidade de bebida. As que obtiverem nota média a partir de 87 pontos serão classificadas para a Fase Nacional, limitadas aos 40 melhores por categoria.
Esses cafés voltarão a ser avaliados por uma comissão nacional de degustadores, sob os mesmos critérios da pré-seleção, e os 20 primeiros colocados que mantiverem nota igual ou superior a 87 pontos se classificarão para a Fase Internacional do concurso, quando 12 especialistas de comprovada reputação internacional decidirão, com base no nível de qualidade dos lotes apresentados e da pontuação média mínima a partir de 87 pontos, os vencedores da competição, que ganharão o direito de participarem do leilão presencial de venda do “Programa Destaque Brasil”.
Segundo a diretora executiva da BSCA, Vanusia Nogueira, essa iniciativa decorre do fato de o Brasil também possuir cafés excepcionais colhidos tardiamente. “Esses frutos que passam a ser preparados a partir de outubro têm atributos tão fantásticos quanto os anteriores, mas pelo seu timing acabam não participando das etapas do Cup of Excellence. Por isso idealizamos essa inédita etapa para que esses cafés tenham seu devido reconhecimento e estejam à disposição dos principais compradores mundiais”, conclui.
 O “Programa Destaque Brasil” é ação integrante do projeto setorial "Brazil. The Coffee Nation", que é desenvolvido em parceria por BSCA e Apex-Brasil, e tem como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no País. O projeto visa, ainda, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros.
Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto se dá entre maio de 2016 ao mesmo mês de 2018 e os mercados-alvo são: (i) EUA, Canadá, Japão, Coreia do Sul, China/Taiwan, Reino Unido, Alemanha e Austrália para os cafés crus especiais; e (ii) EUA, China, Alemanha e Emirados Árabes Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.

Fonte: Redação do Garca.Jor


Chuvas do verão de 2018 deverão garantir a produção agrícola

O verão começou oficialmente no dia 21 de dezembro, às 14h28, e vai até 13h15 do dia 20 de março de 2018, pelo horário de Brasília. A expectativa sobre o comportamento da chuva e da temperatura é maior em relação ao verão do que nas outras estações. É a chuva do verão que vai garantir o abastecimento de água para o consumo, para a produção agrícola, industrial e de energia hidrelétrica. Há ainda previsão de que haja grande pressão para pragas e doenças na agricultura.
De acordo com o Instituto Nacional de Metereologia (INMET) Com a presença do fenômeno La Niña de intensidade fraca, essas condições poderão ser alteradas no decorrer do período, com chuva mais contínua nas Regiões Centro-Oeste e Sudeste, índices de chuva acima do normal nas Regiões Norte e Nordeste, e irregularidade na distribuição na Região Sul, essas são as condições médias da recipitação. Quanto a temperatura, poderá ficar acima do normal na Região Sul, normal a abaixo do normal nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste, e dentro do normal nas Regiões Nordeste e Norte do País, são as condições médias.
Nos últimos meses, a temperatura das águas do Oceano Pacífico Equatorial, mantiveram-se abaixo da média. Esse resfriamento vem sendo observado desde agosto de 2017 e indica a permanência do fenômeno La Niña pelo menos até março de 2018. Os modelos de previsão climática, gerados pelos principais centros de Meteorologia, indicam que as temperaturas da superfície do mar devem continuar abaixo da média até o mês de março de 2018, o que mostra uma tendência de continuidade do La Nina de fraca intensidade.
Conforme os dados do INMET, a maior parte da chuva no sudeste e no centro-Oeste ocorrerá principalmente na primeira metade do verão com risco elevado para enchentes.  O sul do Brasil, em média, deve ter chuva abaixo da média, mas não será completamente seco, diferente da região norte, que terá muita chuva na estação. A região nordeste terá muito calor e pouco chuva, porém nas áreas produtoras terão chuva suficiente.

Fonte: Agrolink


Homem é multado em Tupã em R$ 51 mil por manter 17 galos em cativeiro

A Polícia Ambiental resgatou 17 galos em situação de maus-tratos em uma casa do bairro Alonso XII em Tupã.
Os animais foram encontrados no último sábado (23), mas a ocorrência foi divulgada somente nesta quarta-feira, 27 de dezembro. O dono do local foi multado em R$ 51 mil e vai responder por crime ambiental.
Segundo informações da Polícia Ambiental, os animais da raça Índio eram mantidos em cativeiro e visivelmente em situação de estresse já que estavam sem penas no pescoço e com ferimentos nas asas.

Fonte: G1


Carro com dois adultos e duas crianças capota na SP 294 próximo de Gália

Ocorrência de acidente de trânsito na SP 294, pouco depois da entrada para a cidade de Gália. O fato se deu no início da noite desta terça-feira, 26 de dezembro, quando um Fiat Punto, com placas da cidade de Botucatu, seguia no sentido interior capital e a condutora, cujo nome não foi divulgado, perdeu o controle e atingiu um barranco. Com a colisão, o veículo capotou.
Além da condutora, uma mulher adulta e mais duas crianças estavam no veículo. Apesar do capotamento, as quatro pessoas conseguiram sair sozinhas do carro e não apresentavam maiores ferimentos. As adultas apenas reclamavam de dores de cabeça e as crianças não apresentavam escoriações e não reclamavam de dores. Apesar disso, o Corpo de Bombeiros, de forma preventiva, encaminhou todos os ocupantes para a Unidade de Pronto Atendimento de Garça.
O veículo apresentou danos de grande monta e vários itens que estavam acomodados no carro ficaram espalhados pela pista. O caso foi registrado no plantão policial como acidente de trânsito a ser esclarecido.

Fonte: Redação do Garca.Jor


Tribunal de Justiça define como inconstitucional lei que proíbe fogos de artifício em Bauru

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), através do Órgão Especial, julgou procedente o pedido de Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) impetrado pela Associação Brasileira de Pirotecnia (Assobrapi) contra as leis municipais que proíbem os fogos de artifício das categorias C e D em Bauru. Com isso, as legislações deixam de valer. Mesmo assim, a prefeitura vai manter a festa de Réveillon sem show pirotécnico.
A decisão do TJ contou com o voto de 22 desembargadores, tendo como relator da ADI o desembargador Carlos Bueno. A argumentação de Bueno para invalidar as leis de Bauru foi seguida pelos outros membros. Com isso, as leis municipais 6.658/15 e 6.796/16 estão sem validade. Ambas foram propostas por vereadores da legislatura passada.
A Lei 6.658 é de autoria do ex-vereador Raul Gonçalves Paula (PV) e proibia a realização de espetáculos com fogos de estampido das categorias C e D no perímetro urbano de Bauru, com permissão em casos específicos. Já a Lei 6.796 é do ex-vereador Renato Purini (PMDB) e adicionou a proibição a qualquer evento promovido ou com apoio da Prefeitura de Bauru.
Com a publicação do acórdão, as duas leis foram anuladas. O documento já tinha sido remetido do TJ para a Prefeitura e Câmara. Ontem, a Secretaria Municipal de Negócios Jurídicos comunicou o Gabinete do prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD) para que as legislações sejam declaradas inválidas, atendendo à decisão judicial, proferida em 22 de novembro deste ano.
No acórdão publicado pelo TJ, é citado que não houve vício de iniciativa, mas "violação do pacto federativo", ou seja, a Câmara Municipal legislou sobre algo que é de competência da União, Estados e do Distrito Federal, por se tratar de norma relativa à produção e consumo. O relator cita que o Artigo 24 da Constituição Federal determina competência de legislar sobre produção e consumo, portanto fora do alcance do município. A prefeitura é incluída no processo, pois as leis foram sancionadas e colocadas em vigor, ainda na gestão de Rodrigo Agostinho, em 2015 e 2016.
Também é citado que o Artigo 22 da Constituição Federal coloca de forma privativa ao governo federal legislar sobre material bélico, e que o Decreto Federal 3.665, de 2000, determina que a fiscalização da produção desse material, incluindo fogos de artifício, compete ao Exército. Com base nesses argumentos, foi decidido pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça "a retirada do ordenamento jurídico", julgando procedente a ação.
Na época da aprovação das duas leis, a justificativa principal dos parlamentares foi a perturbação do sossego, inclusive de pessoas doentes, crianças e idosos, e também dos animais, que são bastante sensíveis ao barulho de fogos e rojões
Fogos da categoria C são aqueles com entre 25 centigramas e 2,5 gramas de pólvora, como os rojões. Na categoria D, os que têm acima de 2,5 gramas, casos de baterias e morteiros. Já as categorias A e B são de menor potencial como as "bombinhas", morteirinhos de jardim e serpentes voadoras.
Apesar de as leis terem sido derrubadas pelo TJ, a Prefeitura de Bauru não fará queima de fogos na Festa da Virada do Parque Vitória Régia, prevista para 31 de dezembro (domingo), a partir das 21h, com encerramento às 2h do dia 1.º de janeiro (segunda-feira), e entrada gratuita. Curiosamente, a assessoria de imprensa da prefeitura cita a Lei 6.796/16 para justificar a ausência dos fogos, apesar de a mesma estar já ter perdido a validade.
Em anos anteriores, o Revéillon de Bauru chegou a ter queima de fogos e rojões no Parque Vitória Régia.
Em 2016, houve apenas a queima, sem barulho. Agora, não haverá apresentações pirotécnicas, conforme divulgado pelo município.
A virada de ano terá como atração a banda Creme Rinse, de Bauru.

Fonte: Jornal da Cidade de Bauru


Mega da Virada vai pagar R$ 280 milhões a quem acertar as seis dezenas

Quem acertar os seis números da Mega da Virada poderá receber um prêmio de R$ 280 milhões, segundo estimativa da Caixa Econômica Federal. O sorteio será no dia 31 de dezembro, e as apostas poderão ser feitas em todas as casas lotéricas do país até as 14h (horário de Brasília) do mesmo dia. Pessoas físicas que são correntistas da Caixa podem fazer as apostas por meio do Internet Banking.
O valor da aposta mínima, que é de seis números, é R$ 3,50. De acordo com a Caixa, quem faz a aposta mínima tem uma probabilidade de acerto de 1 para 50.063.860. Para acertar a quina, essa proporção cai para 1 em 154.518. Já a probabilidade de acerto da quadra fica em 1 para 2.332.
Quem quiser fazer a aposta máxima, que é de 15 números, terá de desembolsar R$17.517,50. Nesse caso, a probabilidade de acerto dos seis números é de 1 para 10.003. No caso da quina, as chances de acerto são de 1 para 370. Já a da quadra fica em 1 para 37.
O primeiro sorteio da Mega da Virada foi feito em 2009, quando dois ganhadores dividiram R$ 144,9 milhões. Em 2016, seis ganhadores dividiram o prêmio, no valor de R$ 220,9 milhões. De acordo com a Caixa, as apostas tinham sido feitas em Salvador (BA), Fortaleza (CE), Trizidela do Vale (MA), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS) e Fazenda Vilanova (RS).

Fonte: Agência Brasil


Vítima de homicídio registrado no Natal em Marília é identificada

A vítima do homicídio registrado na segunda-feira, 25 de dezembro, dia de Natal, em uma casa na rua José Bonifácio, perto da avenida República, em Marília, foi identificada como o vendedor Luis Valentim Cardoso, 50 anos, morador do local.
De acordo com a perícia, ele aparentemente foi agredido com sete facadas nas costas e uma no peito. A informação está no boletim de ocorrência, registrado como homicídio qualificado. O crime teria ocorrido durante a manhã e foi descoberto na parte da tarde.
“A morte aparentemente decorreu de lesões perfuro-contundente – faca”, diz o BO. No registro policial consta que o corpo estava no banheiro com a barriga para cima e uma “espécie de lenço” em volta do pescoço. O chuveiro estava ligado e havia um rastro de sangue que vinha da cozinha.
O corpo foi localizado por bombeiros chamados por vizinhos que sentiram forte cheiro de gás de cozinha vindo do imóvel. Ali, se depararam com uma janela apenas encostada, abriram e desligaram o botijão. Em seguida, a equipe que atendeu a ocorrência viu o sangue.
O óbito foi constatado por um médico do Samu e também estiveram no local a Polícia Militar, o delegado da Polícia Civil de plantão, dois investigadores e perícia. Uma testemunha disse que um rapaz foi visto no local no período da manhã.
A apuração preliminar indica que a vítima morava sozinha e não foram encontrados sinais de arrombamento nas portas de entrada da casa.
O caso é investigado pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais).

Fonte: Marília Notícias


Arcebispo de Porto Alegre: Michel Temer não vive a realidade

Em pronunciamento realizado em cadeia nacional de rádio e TV na noite de domingo, 24 de dezembro, véspera de Natal, o presidente Michel Temer (PMDB) afirmou que está mais barato viver no Brasil. Ele também ressaltou "conquistas" do seu governo, como a reforma trabalhista, que retirou direitos garantidos na CLT, e insistiu na reforma da Previdência, que pretende endurecer os critérios de acesso às aposentadorias.
Se o clima de festa evitou protestos ruidosos contra a fala, o emedebista não escapou das críticas bem humoradas da internet, e a hashtag #ForaTemer foi um dos destaques no Twitter durante a noite de Natal.
Na segunda-feira, 25 de dezembro, o arcebispo de Porto Alegre, Dom Jaime Spengler, também foi duro nas críticas às declarações do presidente. "Quem diz que a vida está mais barata não vive a realidade do nosso povo. A impressão que dá é de que vive em uma outra realidade", afirmou o religioso, em entrevista à Rádio Gaúcha.
"Olhando nossa situação de Porto Alegre, o número de moradores de ruas, o número de placas de 'vende-se' e 'aluga-se', o comércio fechado, a vida parada, jovens sem perspectiva de um emprego digno (...) Certamente esse tempo de Natal precisa reacender em todos a esperança", acrescentou.
Como alternativa à crise econômica, à desigualdade e ao desemprego, Dom Jaime disse que "a Igreja sempre defendeu" que "somente com justiça social e melhor distribuição de renda é que se pode superar esta realidade".

Fonte: Rede Brasil de Fato


terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Ladrões invadem casa e tomam até banho durante o furto em Marília

Uma família de Marília teve a casa invadida por criminosos durante o Natal e, além de furtarem vários objetos e dinheiro, os ladrões ainda tomaram banho e fizeram a barba no banheiro do imóvel, segundo os moradores.
De acordo com informações da Polícia Militar, a família saiu de casa no domingo, 24 de dezembro, para passar o Natal com familiares e quando voltou na segunda-feira, 25 de dezembro, por volta das 17 horas, o imóvel, que fica na Vila Hípica, estava todo revirado.
Ainda de acordo com a PM, os ladrões fugiram levando roupas, dinheiro, todos os alimentos, fraldas e o leite especial que filho do casal, que precisa de cuidados especiais, toma.
O menino de quatro anos tem a síndrome de West, uma forma de epilepsia que causa espasmos, e precisa do alimento. "Ele não pode ficar sem o leite, nós tinhámos usado o valor do décimo terceiro salário para comprar as latas para ele, que foram levadas", conta a mãe, Andressa Lázaro.
A família precisa de doações de alimentos de todos os tipos, porque toda a compra deles foi levada, leite especial e fraldas. Quem puder ajudar pode entrar em contato pelo telefone (14) 99669-2196.
A polícia investiga o caso e até a manhã de hoje nenhum suspeito havia sido preso.

Fonte: G1


Prazo para saque do abono salarial ano-base 2015 termina quinta-feira

Trabalhadores com direito ao abono salarial ano-base 2015 têm até quinta-feira, 28 de dezembro, para sacar o beneficio. O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) informou que esse é o prazo final e não haverá nova prorrogação. Segundo o MTE, até o fim de novembro 1,4 milhão de brasileiros com direito ao benefício ainda não tinham sacado o dinheiro.
Quem trabalhou na iniciativa privada em 2015 pode retirar o dinheiro em qualquer agência da Caixa Econômica Federal ou em uma casa lotérica. Servidores públicos devem procurar o Banco do Brasil. Cada trabalhador recebe valor proporcional à quantidade de meses trabalhados formalmente naquele ano. Se a pessoa trabalhou o ano todo, recebe o valor na íntegra. Quem trabalhou por seis meses, por exemplo, recebe metade do valor. Os pagamentos variam de R$ 79 a R$ 937.
Para ter direito ao abono salarial ano-base 2015, é preciso ter trabalhado formalmente em 2015 e atender a alguns requisitos, como estar vinculado formalmente a uma empresa ou a um órgão público por pelo menos 30 dias naquele ano, ter remuneração média de até dois salários mínimos no período, estar inscrito no Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) há pelo menos cinco anos e ter os dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).
Para saber se tem direito ao benefício, é possível fazer uma consulta ao site do Ministério do Trabalho com o número do PIS ou do CPF e a data de nascimento. Também é possível obter informações nas agências bancárias ou ligando para o Alô Trabalho, 158. As ligações são gratuitas de telefone fixo em todo o país.
A Caixa Econômica Federal fornece a informação aos beneficiários do PIS também pelo telefone 0800-726 02 07. O Banco do Brasil atende os beneficiários do Pasep no número 0800-729 00 01.

Fonte: Agência Brasil


Homem é encontrado morto na Avenida República em Marília

Um homem com aproximadamente 50 anos foi encontrado morto com sinais de violência no início da tarde desta segunda-feira, 25 de dezembro, feriado de Natal, em uma residência na avenida República, próximo do cruzamento com a rua José Bonifácio, em Marília.
De acordo com as primeiras informações do Samu, a vítima tinha diversas perfurações nas costas, que provavelmente foram provocadas por arma branca (faca ou objeto cortante).
Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi a primeira a chegar no local. Segundo as autoridades, os bombeiros foram acionados por vizinhos com a informação de que havia um vazamento de gás na casa. Eles acabaram encontrando a vítima e avisaram a polícia.

Fonte: Marília Notícias


sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Garça abre processo seletivo para agente social e facilitadores em diversas áreas

As inscrições para o processo seletivo simplificado para contratação de facilitadores para atuar na Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social devem ser feitas nos dias 27, 28 e 29 de dezembro, quarta, quinta e sexta da semana que vem, das 8h30 às 11h e das 13h30 às 16h, na Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, à rua Vital Soares, 56, no Centro de Garça.
O processo seletivo é para contratação temporária, para o preenchimento de vagas na área de Assistência Social, com atuação nos Programas Sazonais de Proteção Social Básica e Proteção Social Especial. Os profissionais selecionados atuarão nos serviços, programas e projetos desenvolvidos também pelas secretarias de Esporte, Cultura e Fundo Social de Solidariedade.

As vagas são para:
• Agente social;
• Facilitador social na área de artesanato;
• Facilitador social na área de culinária, panificação e confeitaria;
• Facilitador social na área de manicure e pedicure;
• Facilitador social na área de maquiagem e designer de sobrancelha;
• Facilitador social na área de cabeleireiro;
• Facilitador social na área de construção civil (pedreiro, assentador de pisos e azulejos, encanador, eletricista e pintor de parede);
• Facilitador social na área de garçom;
• Facilitador social na área de cuidador de idosos;
• Facilitador social na área de dança (dança de salão, zumba, hip hop e dança de rua);
• Facilitador social na área de música (instrumentos de corda, de sopro e de percussão);
• Facilitador social na área de atividades físicas/esportivas (futebol, futsal, natação, tênis de mesa e pilates de solo);
• Facilitador social na área de artes marciais (karatê, jiu-jitsu e judô);
• Facilitador social na área de capoeira;
• Facilitador social na área de artes cênicas (teatro/circo);
• Facilitador social na área de artes visuais: arte urbana (técnica em grafite, Quick Sketch, Stencil, areografia, 3d Art, lambe-lambe, fotografia e Videomaker);
• Facilitador social na área de leitura e recreação.

A remuneração varia entre R$ 965,00 e R$ 1.500,00. A inscrição deverá ser feita pelo próprio candidato ou por procuração específica, devidamente registrada em cartório com firma reconhecida e cópia do documento de identidade do procurador, no local das inscrições, mediante o preenchimento de formulário.
Todas as informações como remuneração, jornada semanal, período de contratação, número de vagas, atribuições das funções, áreas de atuação e todos os requisitos para a inscrição estão publicadas no edital do Diário Oficial do Município, no site da Prefeitura Municipal de Garça: www.garca.sp.gov.br.

Fonte: Redação do Garca.Jor


Capitão Gomes de Sá: aproximação com a comunidade permite diminuição de ocorrências policiais

Ao longo de 2016, a preocupação com a segurança se mostrou um dos itens mais efetivos da agenda da comunidade garcense. Ocorrências diversas e crescentes eram registradas e, para coroar a situação, ocorreu a explosão dos caixas eletrônicos do Terminal Rodoviário, seguida de diversos tiros disparados pelos assaltantes.
O temor com a falta da segurança levou a reuniões com diversas lideranças, buscando soluções que, invariavelmente, passavam pelo aumento de efetivos das polícias militar e civil e maior investimento para o trabalho dessas duas corporações. Tais pleitos passavam pelo aval do governo do Estado que, no entanto, não se sensibilizou com a situação de Garça, que continua a conviver com praticamente o mesmo número de policiais, de veículos, de investigadores e apenas com um delegado titular.
Entretanto, o cenário observado, pouco mais de um ano após as reuniões sobre segurança, se mostra bem menos intenso. Evidentemente, vários crimes continuam a ser reportados, mas a frequência diminuiu, os números de ocorrências se mostram menos efusivos.
Para o comandante da 4ª Companhia da Polícia Militar em Garça, capitão Cláudio Luiz Gomes de Sá, o que mudou nesse período foi a execução de um esforço policial para o cumprimento de metas. Os vários indicadores criminais e operacionais foram analisados e estratégias foram traçadas para combater a criminalidade. Dentre as ações empreendidas estiveram a colocação de viaturas em patrulhamentos ampliados e diversos, mais patrulhamento em feriados prolongados e também quando da ocorrência de eventos e festas de maior apelo popular.
"Foi um trabalho bem feito de todos os policiais de Garça. Com pouco, nós fizemos bastante. Podemos ver isso nos índices criminais, com as principais ocorrências. Por exemplo: no ano de 2016, nós tivemos quatro vítimas de homicídio e em 2017, até o momento, três. Na questão dos furtos, em 2016, nós tivemos 831, e até agora 632. Os roubos baixamos bastante. Em 2016, 131, e agora estamos com 47. Furto de veículos, no ano passado, 49 e agora, até o momento, 35. O roubo de veículo, em 2016, foi um e, em 2017, dois", explicou o capitão, que lembrou que dos furtos de veículos, vários deles foram recuperados.
Para Gomes de Sá, não apenas a implantação de mais patrulhamento explica a mudança da situação. Ele também indicou que a questão da aproximação da comunidade com a Polícia vem trazendo resultados positivos. "A participação da comunidade tem nos ajudado bastante. As pessoas têm ligado no 190, na nossa companhia. Estão conversando mais com os policiais na rua, nos pontos, nos patrulhamentos. Estão conversando, denunciando. Quem sai para viajar, ou deixa sua residência vazia, os vizinhos estão cuidando, ligam 190 quando verificam alguma anormalidade e a viatura está indo fazer a verificação", apontou.
Essa aproximação, na visão do capitão, se deve a uma estratégia da polícia comunitária. Tal ação já ocorre há alguns anos, e desde que ele chegou ao comando da Companhia local, em fevereiro de 2016, se buscou aperfeiçoá-la. Ele lembrou que em todas as oportunidades que tem de falar com a sociedade, busca enfatizar essa necessidade de aproximação da comunidade com a Polícia, em busca de um trabalho conjunto que resultará em menores índices de criminalidade.
"Podemos melhorar. Tentar fazer mais horas de patrulhamento, principalmente nos novos bairros. No momento, o número de ocorrências é maior do que podemos atender e vamos fazendo isso dentro da medida do possível", disse o capitão.
Até o início de dezembro, os números da Polícia Militar mostravam uma atividade bastante consistente, com 5.697 ocorrências atendidas e mais de 11 mil buscas pessoais. O volume de pessoas presas chegou a 167, com 50 condenados capturados, 11 armas de fogo apreendidas, 36 ocorrências de tráfico de drogas processadas e 25 autuações por porte de drogas. Trinta e três veículos foram recuperados e a Polícia registrou 181 acidentes de trânsito com vítima e 200 sem vítima. Além disso, ocorreram 234 recolhimentos de veículos com alguma pendência, 2.635 autos de infração de trânsito e quase 12 mil fiscalizações de condutores nas vias da cidade.
"Essas estatísticas de transito são muito importantes, já que as pessoas reclamam dos pontos de bloqueio. Mas é bom frisar que nesses pontos de bloqueio não se quer apenas fiscalizar o trânsito, mas também outros aspectos, como o veículo, as coisas que estão no veículo, pessoas, armas. Isso é um ponto de interesse, com a polícia mostrando que está presente", explicou o capitão.

Demandas — Garça verifica uma predominância de crimes considerados mais leves, como aqueles contra o patrimônio, com casos como o duplo homicídio registrado em novembro (que vitimou mãe e filho, no Labienópolis) sendo grandes exceções. Segundo o capitão Gomes de Sá, algumas outras modalidades de ocorrência se intensificaram nos últimos tempos e também vão buscando ser coibidas, tais como as agressões familiares, enquadradas, em muitos casos, na Lei Maria da Penha e o abuso de álcool por parte dos motoristas, algo que traz sérios riscos aos próprios condutores e a outras pessoas. Nesse caso, as abordagens se tornaram mais frequentes, principalmente quando se observa um veículo transitando de maneira diferente, em caso de denúncias ou em bloqueios.
Além disso, também tem sido feito um trabalho mais efeito para evitar que vagas de estacionamento para idosos e deficientes sejam ocupadas irregularmente. Para tanto, uma parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Social foi firmada, buscando conscientizar os motoristas sobre o tema, com resultados que o capitão avaliou como interessantes.

Fim de ano — Neste período de finalização de mais um exercício, muitas famílias procuram aproveitar os feriados prolongados e viajar. E nesse momento sempre surge a preocupação com a segurança da casa. Segundo o capitão Gomes de Sá, há vários anos a polícia de Garça vem desenvolvendo o programa de "ronda programada", reforçando a vigilância da propriedade ao longo do período em que a família está em trânsito.
"A pessoa que vai viajar comparece à sede da 4ª Companhia, preenche um cadastro simples, como nome, telefone e os dados do que vai ficar na residência. Ele indica o período que vai ficar fora e o policial, dentro da rotina dele de patrulhamento, sabe que tem de passar naquela casa, já que não haverá ninguém”, complementou.

Fonte: Jornal Debate


ONU: "sonho americano" está rapidamente virando ilusão

Os Estados Unidos, um dos países mais ricos do mundo e considerado uma “terra de oportunidades”, está rapidamente se tornando campeão de desigualdades, de acordo com o relator especial das Nações Unidas para a pobreza extrema e os direitos humanos, Philip Alston.
A pobreza consolidada pode piorar ainda mais com as políticas propostas pela administração Trump, alertou o especialista em comunicado após visita de duas semanas a Califórnia, Alabama, Geórgia, Virgínia Ocidental e Washington D. C., assim como Porto Rico.
“O sonho americano está rapidamente se tornando a ilusão americana, enquanto os EUA têm agora a menor taxa de mobilidade social de todos os países ricos”, disse o especialista independente nomeado pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU para analisar a situação de pobreza e de direitos humanos nos países do mundo.
“O excepcionalismo americano foi um tema constante nas minhas conversas. Mas em vez de perceberem os compromissos admiráveis ​​de seus fundadores, os EUA de hoje provaram ser excepcionais de formas muito mais problemáticas, em chocante desacordo com sua imensa riqueza e seu compromisso fundamental com os direitos humanos.”
“Não há outro país desenvolvido onde tantos eleitores estão privados de seu direito ao voto e onde tão poucos eleitores pobres ainda se importam em ir às urnas, e onde os eleitores comuns geralmente têm tão pouco impacto nas decisões políticas. Não há outro país desenvolvido no qual tantos cidadãos estão atrás das grades.”
Ele continuou: “fiquei impressionado com a extensão em que as narrativas caricaturadas sobre as supostas diferenças inatas entre ricos e pobres foram vendidas ao eleitorado por alguns políticos e meios de comunicação, e foram autorizadas a definir o debate. Os ricos são industriais, empreendedores, patrióticos e impulsionadores do sucesso econômico. Os pobres são gastadores, perdedores e golpistas”.
“Apesar de isso contradizer os fatos, alguns políticos e nomeados políticos com quem conversei acreditavam na narrativa de que tais golpistas estariam sentados em sofás confortáveis, assistindo à TV, enquanto usavam seus smartphones, tudo supostamente pago pela previdência social”, disse. “Me pergunto quantos desses políticos já visitaram regiões pobres, ou mesmo conversaram com as pessoas que moram ali”.
Dados mais recentes do censo norte-americano, de setembro deste ano, indicaram que mais de 40 milhões de pessoas — um a cada oito norte-americanos — viviam na pobreza. Quase metade desse total, ou 18,5 milhões de pessoas, viviam em extrema pobreza.
De acordo com o especialista, em geral se pensa que os pobres vêm de grupos étnicos minoritários, mas os dados indicam que há 8 milhões a mais de brancos vivendo na pobreza na comparação com afrodescendentes. “A face da pobreza na América não é apenas negra ou hispânica, mas também branca, asiática e de muitas outras cores”, declarou.
O relator especial expressou temor de que mudanças propostas no sistema tributário e de previdência social nos EUA possam ter consequências devastadoras para os 20% mais pobres do país.
“A proposta de reforma fiscal parece uma tentativa de tornar os EUA a sociedade mais desigual do mundo”, disse o especialista. “Ampliará muito os já altos níveis de desigualdade de riqueza e de renda entre o 1% mais rico e e os 50% mais pobres do país”.
“Os cortes dramáticos na previdência social, ancorados pelo presidente Trump e pelo (presidente da Câmara dos Representantes, Paul) Ryan, e que já estão sendo implementados por esta administração, irão essencialmente destruir dimensões cruciais de uma rede de seguridade que já está cheia de buracos.”
O relatório final da visita de Philip Alston aos EUA estará disponível no fim do primeiro semestre do ano que vem e será apresentado ao Conselho de Direitos Humanos em Genebra em junho de 2018.

Fonte: Organização das Nações Unidas


Funcionários da Unesp de Bauru protestam contra atraso no pagamento do 13º salário

Funcionários da Unesp fizeram um protesto nesta quinta-feira, 21 de dezembro, no campus de Bauru. Eles usaram faixas pra pedir o pagamento do 13º salário, que deveria ter sido feito na quarta-feira, 20 de dezembro.
Os manifestantes também distribuíram folhetos aos colegas que chegavam para trabalhar. Em todo o estado, são 12,7 mil funcionários do regime estatutário, que não receberam o benefício.
No começo do mês, a Unesp divulgou um comunicado avisando que tentava um crédito suplementar do estado para garantir o pagamento. Desde então, segundo os funcionários, as negociações não avançaram.
De acordo com a Unesp, uma nova solicitação de recursos suplementares foi feita para o governo do estado no valor de R$ 164 milhões para fazer o pagamento dos servidores.
Em nota, o governo do estado afirma que já repassou R$ 19 milhões a mais do que estava previsto para o orçamento desse ano da universidade, mas não respondeu se vai atender ao pedido de recursos suplementares no montante de R$ 164 milhões.

Fonte: G1


Parada da Diversidade quer crescer e incentivar público LGBT em Marília

Organizadores da Parada da Diversidade, profissionais de saúde, ativistas de direitos humanos e movimentos sociais devem fazer de 2018 um ano de defesa por políticas públicas para inclusão social do público LGBT, com prevenção e combate ao preconceito e violência em qualquer forma de discriminação.
Entre as medidas estão defesa do reconhecimento de nome social, ambulatório de saúde para auxiliar e orientar transição de pessoas transgêneras, representatividade em órgãos e conselhos públicos além de ações oficiais contra o preconceito em todas as suas formas, incluindo sexual.
São problemas que vão dos casos mais comuns de homofobia, como tratamento diferenciado a casais homoafetivos em locais públicos, a situações de desconhecimento e rejeição, como relacionar transgêneros com prostituição. Casos de profissionais autônomos - mais recentemente de uma atleta de vôlei que será a primeira trans na superiga, maior competição feminino do país - devem ser usados para mostrar que a transformação é
uma questão de identidade que não está vinculada a formação ou capacidade profissional.
As ideias foram discutidas em um encontro realizado nesta semana para apresentar e discutir balanço da primeira Parada da Diversidade, realizada em outubro com participação de mariliense e muitos visitantes de cidades vizinhas.
“Essas ações que envolvem diversas áreas e pessoas nos têm feito perceber o quão importante é conseguir reunir todas essas pessoas em um único propósito, combater o preconceito e discriminação de todas as formas,” disse o professor Elói Maia, da rede pública de ensino.
A Parada recebeu apoio de instituições como a Unimar, Secretaria da Cultura, Famema, Apeoesp, Núcleo de Direitos Humanos de Marília, Policia Militar e a ONG Collors Renovate..Um dos objetivos é permitir que em 2018 o evento tenha mais visibilidade.
O encontro promoveu discussões técnicas sobre diversidade e respeito, experiências pessoais de vítimas de preconceito e propostas para fazer a parada ainda maior em 2018.
A presidente do Núcleo de Direitos Humanos da Unesp, Tânia Suely Antonelli Marcelino Brabo, disse que ainda há dificuldade em colocar em prática as ações luta contra homofobia na cidade.


Fonte: Giro Marília